Ways to Save Money for Your Dream Travel

⌚ READING TIME | 4MIN

Eis a questão! Este nunca é um tema fácil para escrever e que agrade a todos. Pois todos nós temos uma gestão, vida, trabalho, dificuldades… diferentes. Por isso não isto não se aplica a todos.

Será mais uma visão pessoal de como tenho gerido o meu dinheiro nos últimos tempos para que, daqui aproximadamente a um ano possa fazer A Viagem.

Uma vez em Portugal e não vivendo num berço de ouro, é necessário algumas medidas e sacrifícios para que possas amealhar o máximo possível para viajar (Isto aplica-se a tudo).

Se trabalhas e és independente, eis algumas maneiras para juntares o dinheiro que necessitas para viajar (ou para o que quiseres! Não se aplica a viagens. Mas no meu caso sim!):

Cartão de Refeição

Grande parte da malta que trabalha tem direito a subsídio de refeição, em cartão ou por outras formas.  Não sou exceção, basicamente não toco neste dinheiro. Dá o cartão aos teus familiares para gastar em despesas para casa e guarda esse dinheiro. Se estivermos a falar de 100€ mensais (penso que é um valor bem baixo) ao fim de 11 meses são 1100€.

Fixa um valor para gozares mensalmente

Primeiro, tens de perceber bem qual é o valor das tuas despesas fixas totais do mês (internet, telemóvel, mensalidades, subscrições online, ginásio etc…). Depois define um valor mensal para tu gastares no que quiseres (para mim incluí alimentação, transporte, saídas, roupa, jantaradas, pequenas viagens etc).

Fixa uma meta de poupança

Este ponto é uma continuidade do anterior.

Fixa um valor mensal que estás disposto a tirar do teu salário para colocares na tua poupança. 100€, 200€, 300€… não importa. O que importa é que o valor seja algo que não te complique a vida durante o mês.

Tem de ser um valor com o qual te sentes confortável em viver sem durante todo o mês. Uma vez que, não vês esse valor na tua conta corrente, só tens de gerir o que resta (voltamos ao ponto anterior).

Contas redondas… se juntares 200€ mensais aos 100€ de subsidio de refeição são 300€ mensais, no final do ano já estamos a falar de 3700€.

Regista os movimentos

Parece estúpido, mas dá imenso jeito para te orientares e cumprires com os teus objetivos.

Num excel, desenha uma tabela com os meses do ano e regista todas as entradas e saídas de dinheiro. Todas as tuas poupanças, gastos etc…

Planeamento é fundamental. Com isto, consegues perceber no final do ano se cumpriste o teu objetivo ou não.

Subsidio de férias e de Natal

Nem toques! São pelo menos mais de 1000€ que podes juntar ao final do ano e já podes ter 4700€. E falar em subsídios de Natal, aproveita todas as tuas meias com dinheiro que recebes durante esta época para colocares na poupança e atingirás os 5000€ à partida.

Mais uma vez, ao definires um plano vais orientar a tua vida com o valor mensal que definiste para gastar por isso, todos estes extras são uma grande ajuda para atingires o teu objetivo.

Prémios de trabalho

Se fores um felizardo e receberes qualquer tipo de bónus da tua empresa… Não toques!

Transportes

Isto é um problema para todos em Portugal.

A nossa rede de transportes públicos não é muito boa e obriga muita gente a deslocar-se para o trabalho de carro o que acarreta custos enormes. Se conseguires evitar evita e usa os transportes públicos.

Outra solução, é usares mota. Vivo em Espinho e trabalho no Porto. Durante 8 ou 9 meses vou para o trabalho de mota e faço cerca de 50 KM por dia. No final do mês, fica quase ao mesmo preço de um passe mensal de comboio e metro.

Part-time

Este é um ponto mais de: Olha para aquilo que eu digo e não para aquilo que eu faço. Pois eu não o faço mas fica como uma mera sugestão.

Se estás realmente empenhado no teu objetivo e queres atingi-lo o mais rapidamente possível, podes conciliar um part-time durante os fins de semana e trabalhares durante a semana.

 

Isto são tudo maneiras de poupar mais dinheiro ao final do mês, para que te permita fazer alguma coisa que realmente desejas.

Se pensas em viajar e fazer um retiro, 1 ano e meio a 2 anos de poupança em Portugal, é mais do que o suficiente para ficares por exemplo, na Ásia durante alguns meses a viver e curtir um bocado.

Durante este período de poupança existem sempre deslizes devido a situações mais urgentes e cada um adapta o seu plano à sua maneira. No limite extender esse mesmo período de poupança.

Na minha opinião, ao definires um plano de poupança tens de sentir-te minimamente confortável com esse “dinheiro” que irás abdicar para usufruir noutro momento.

Vai haver momentos de desmotivação, pois pensas que não haverá dinheiro que chegue para ti nalguns meses… mas tens de manter-te forte.

 

 

Créditos: Photo by Sara Kurfeß on Unsplash